A Polícia Nacional ainda não tem pistas dos supostos criminosos que violaram e assassinaram uma anciã de 97 anos de idade, •||•Noticias•||•• Portal da Actualidades ••



A Polícia Nacional ainda não tem pistas dos supostos criminosos que violaram e assassinaram uma anciã de 97 anos de idade, no bairro do Botomona, município de Icolo e Bengo, em Luanda. Gonga Escórcio, 97 anos, foi violada sexualmente, espancada e de seguida assassinada com golpes de facas no peito e enxadas na cabeça. O crime ocorreu na madrugada do dia 06 de Junho, na localidade de Botomona, comuna de Cassoneca, município de Icolo e Bengo, em Luanda.
OPÁIS
À sombra de uma árvore, na lavra da própria idosa, que dista escassos metros do posto de destacamento policial de Batomona, foi o local onde a idosa foi executada por elementos que até agora continuam à monte. Camponesa, Gonga Escórcio nasceu e viveu toda a sua vida no bairro Botomona, que dista a dez quilometros da Vila de Catete.
Viúva desde 1961 e mãe de cinco filhos, a idosa vivia sozinha num pequeno compartimento próximo ao local onde foi brutalmente morta. Luzia Escórcio, sobrinha da vítima, disse, em entrevista a OPAIS, que naquele fatídico dia a velha havia resolvido dormir na lavra, porque o espaço onde dedica-se à plantação de milho, mandioca e mamão era habitualmente invada por bichos vadios. Assim, para pôr ordem ao local, a camponesa decidiu acampar nas plantações. Porém, na madrugada, enquanto descansava, foi surpreendida por grupos de indivíduos que a estupraram e de seguida espancaram-na e assassinaram- na.
O corpo foi encontrado cerca de 24 horas depois do crime, Terça-feira, 07 de Junho, por rapazes da comunidade que vagueavam pela lavra, que fica a meio de um extenso matagal. “Assim que eles (os miúdos) viram o corpo, gritaram e nós fomos a correr para ver o que se passava. Logo que chegamos, deparamo-nos com o cadáver da velha estendido. Foi arrepiante. É que ninguém se apercebeu de nada. Durante a noite não ouvimos gritos. Foi um susto”, contou. Luzia Escórcio acredita que, apesar da idosa nunca ter tido problemas com ninguém da comunidade, o crime terá sido premeditado. “Alguém programou tudo isso. Porque se fosse uma situação ocasional, os bandidos deviam levar os haveres dela. Mas não foi o caso. No dia em que foi morta, a vítima tinha consigo 60 mil kwanzas e outros bens. Mas encontramos tudo ali. Isso indica que alguém terá planeado todo o crime”, explicou.
Um choque Adão Francisco é morador da localidade de Botomona há muitos anos. Conta o ancião que o bairro, com perto de 350 habitantes, nunca registou crime do género, ainda mais por se tratar de uma mais velha de trato fácil e que sempre esteve disponível para ajudar a comunidade. “Eu não posso acreditar numa outra coisa que não seja situações misteriosas. Violar uma mais velha de 97 anos e matá-la de seguida não é coisa de pessoas normais. São bandidos que vão receber feitiço e como resultado fazem isso para terem sucesso. Aqui nunca houve coisas do género. Estamos em choque. Foi uma senhora muito prestativa.
É muito triste o que fizeram com ela”, lamentou. O comandante do posto policial de destacamento de Botomona, José Miguel Venas, fez saber que os supostos criminosos continuam em fuga. “Os serviços de investigação criminal estão a trabalhar. As investigações prosseguem a bom ritmo. E acreditamos que, brevemente, os que cometeram o crime serão detidos. Nós, enquanto forças de segurança, também estamos sentidos com tudo o que aconteceu. Este é um crime isolado. Temos uma comunidade calma onde quase que não se verificam situações delituosas”, finalizou o membro da corporação.
Share on Google Plus

About Eddy Musik TV